terça-feira, 5 de abril de 2016

ANDAR AOS PAPÉIS






Quando era miúdo a televisão ainda era a preto e branco, as notícias andavam a passo e o tempo adormecia entre a ausência do supérfluo e a falta do essencial. Na escola aprendíamos a pautar a vida pela ética, pelo estudo, pelo trabalho e pela higiene para andarmos de cabeça erguida. Os tempos mudaram, os escrúpulos perderam-se, a ética tornou-se espécie em vias de extinção, o trabalho deixou de ser referência e, para alguns, a flexibilidade da coluna vertebral deixou de ser problema, passaram a vestir camisas de marca sem preocupação com os colarinhos sujos desde que não se visse... A nossa indiferença fez o resto: tornou-os obscenamente ricos, hipotecou o nosso presente e agora... Andamos todos aos papéis...